Menina de 12 anos foge com “cinquentão” hippie

A mesma notícia sendo abordada de forma diferente pelo portal R7 (r7.com) em duas reportagens (matérias jornalisticas), uma feita pelo RecordTV Minas e outra pelo Cidade Alerta.

Reportagem da RecordTV Minas: “Menina de 12 anos foge com ‘cinquentão’ e deixa carta dizendo que iria suicidar“[1]

Reportagem do Cidade Alerta: “Mãe salva filha de 12 anos das mãos de pedófilo“[2]

A RecordTV Minas foi preconceituosa ao destacar o “cinquentão” (preconceito etário).
Mas, apesar disso, abordou a notícia de forma melhor e mais isenta que o Cidade Alerta, que infelizmente, vive de sensacionalismo. Um programa sem credibilidade nenhuma por ser demasiadamente sensacionalista e que lucra em cima da violência e do medo das pessoas. Imaginem um programa desse na época em que negros e gays eram discriminados. Esses programas seriam cruelmente racistas e homofóbicos.

A reportagem do RecordTV Minas acertou ao chamar a mulher de 12 anos de adolescente. Sim, tanto legalmente, quanto biologicamente, uma menina de 12 anos é adolescente, não criança. Felizmente, não apelaram para o “criança de 12 anos” e nem para o “pedófilo“. Típicos termos que maus jornalistas se valem para fazer suas reportagens sensacionalistas, como as reportagens do Cidade Alerta. Criança é quem não atingiu a puberdade, em geral, menores de 9 anos de idade. Pedofilia é antes da puberdade.

O Cidade Alerta é o típico programa que transforma qualquer ladrão de galinha em perigosíssimo serial killer. É comum pessoas inocentes serem cruelmente prejudicadas por programas assim. É um programa que se aproveita do medo das pessoas para lucrar com audiência. Falta ética e profissionalismo nesse programa. Mas, nesse mundo capitalista ganhar dinheiro é o mais importante na mente de muitas pessoas.

A mãe não salvou a filha de pedófilo nenhum. Uma garota de 12 anos é velha para um pedófilo (pedofilia é antes dos 9 anos de idade) e a moça fugiu com o rapaz, ela não foi raptada pelo homem. Ela fugiu e estava querendo ser salva da própria mãe. A situação é tão séria que a jovem prometeu se suicidar (deixou uma carta dizendo que iria tirar a própria vida).

Se o jovem adolescente, seja homem ou mulher, não se entende com seus pais, é melhor que fuja de casa do que atente contra a própria vida ou chegue ao ponto de matar seus próprios pais, como nesse infeliz e drágico caso: Menina mata a mãe

Será que a jovem mulher é apaixonada pelo hippie e fugiu para viver esse amor? Ou o ambiente famíliar é muito hostil? Dizem que o homem tem mais de 50 anos (não parece tanto) e muita gente é preconceituosa. O problema de muitos pais é idealizar os próprios filhos e nessa idealização há muitos preconceitos embutidos e a vontade de realização dos pais nos filhos. Mas, os filhos não são continuação dos seus pais. São outras pessoas e é natural que discordem de seus pais.

No vídeo, a mãe diz: “Você poderia fazer qualquer coisa, mas fugir? Minha filha você sabe o que esse homem vai fazer com você? Ele vai te estuprar e depois te prostituir”. Diante do desespero da mãe a menina não demostrou nenhum sinal de arrependimento e ainda gritou com a mãe: “Tira suas mãos de mim.” A mãe pediu ajuda de pessoas no lugar para impedir o embarque da jovem mulher.

Vídeo: MÃE IMPEDE FUGA DA FILHA DE 12 ANOS COM HIPPIE:

Vídeo: Mãe consegue impedir que filha de 12 anos fugisse com hipster:

Aparentemente é mais um caso de filha que foge com amante por seus pais não aceitarem o seu relacionamento amoroso. Ela não é a primeira mulher a fugir e nem será a última. Esses casos não são raros. Por que será que jovens mulheres chegam ao ponto de fugir com seus amados?

Apesar da sociedade moderna infantilizar adolescentes, a adolescência faz parte da fase adulta. A infância termina por volta dos 9 anos de idade, com o início da puberdade (a puberdade feminina não começa com a menarca, mas sim anos antes e o primeiro sinal visível é o aparecimento do broto mamário).

Uma mulher de 12 anos de idade já está na fase de deixar seus pais e ir formar seu próprio ninho com o seu amante. Por isso, que elas sentem muita vontade de namorar e de enfretar a autoridade dos pais. Ela sente grande desejo de ser independente e fazer as suas próprias escolhas, como qualquer mulher adulta. E ela é adulta! A fase adulta da mulher começa com a puberdade. A puberdade começa por volta dos 9 anos de idade, não 18.

Com a puberdade, o sexo ganha importância na vida das pessoas (homens e mulheres). O jovem adulto passa a deixar os pais de lado e a querer resolver seus próprios problemas, a valorizar mais as amizades (seu relacionamento social) e a buscar possíveis parceiros sexuais e amorosos. Por isso, que há mulheres, em geral, maiores de 11 anos, que chegam a fugir com seus amados. Essas mulheres apenas estão seguindo o caminiho natural da vida. Não são vadias e nem vagabundas por isso, como infelizmente algumas pessoas falam. São mulheres de atitude, que vão atrás do que querem. E como toda experiência pode ser boa ou ruim. A jovem mulher pode viver um grande amor ou quebrar a cara, se decepcionar. Faz parte da vida.

[1]http://noticias.r7.com/minas-gerais/menina-de-12-anos-foge-com-cinquentao-e-deixa-carta-dizendo-que-iria-suicidar-24032017

[2]http://noticias.r7.com/cidade-alerta/videos/-mae-salva-filha-de-12-anos-das-maos-de-pedofilo-24032017

Adolescente grávida quer morar com o padrasto

Jovem adolescente de 11 anos engravida do padrasto, diz que não houve estupro, que consentiu com as práticas sexuais e amorosas, que gosta dele e quer morar com ele.

Os encontros amorosos entre a garota de onze anos e o padrasto de quarenta anos, ocorriam no quarto da menina, antes do quarentão sair para trabalhar e com a mãe da moça na casa, em Rio Negro, disse o delegado Fábio Magalhães. A jovem está grávida de sete meses. O padrasto foi ouvido nesta quarta-feira (10/02/2016) na delegacia de Rio Negro. Conforme o delegado, o padrasto confirmou que mantinha relação sexual com a jovem mulher. “Ele confirmou que há muito tempo vinha mantendo relação sexual com ela”, afirmou Magalhães.

“O padrasto confirmou que há muito tempo vinha transando com a jovem” (Magalhães)

A adolescente foi chamada na delegacia e disse ter consentido os encontros amorosos. “Ela confirmou que consentiu, que ela gosta dele e queria morar com ele”, disse o delegado. Os encontros aconteciam ainda de madrugada, antes do padrasto ir trabalhar, no quarto dela. Eles moravam numa fazenda. O acusado de crime sexual morava com a mãe da menina há pouco mais de um ano, conforme afirmou o delegado. O padrasto e a jovem afilhada afirmaram que a mãe dela não sabia do relacionamento dos dois amantes. A mãe da adolescente só desconfiou na semana passada por causa do comportamento diferente da filha. Assim que tomou ciência do envolvimento da filha com o companheiro dela, expulsou o companheiro da casa e o denunciou. O homem suspeito de crime sexual está preso desde a última quinta-feira (04/02/2016) e foi indiciado por estupro de vulnerável. Apesar do consentimento da jovem ninfeta, o Código Penal define injustamente estupro de vulnerável: “Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos”. De acordo com o delegado, o acusado não tinha passagens pela polícia.

“A moça confirmou que consentiu as transas, que ela gosta do padrasto e que queria viver com ele” (Magalhães)

Informações do G1, MS.

Juíza Andréa Pachá critica e sensura G1 sobre caso de menina 11 anos e padrasto de 40

A juíza Andréa Pachá sensurou o G1 sobre relacionamento amoroso de menina de 11 anos com seu padrasto de 40.
O G1 apenas deu voz a suposta vítima, que afirmou ter consentido sexualmente e querer ficar com o seu amante.
Andréa Pachá se diz feminista, mas ignorou o desejo dessa jovem mulher de ficar com quem gosta e poder ter sua família. Diferentemente da Pachá, Simone de Beauvoir queria a abolição da idade de consentimento sexual.
Criança não faz criança. Criança é quem tem menos de 9 anos de idade, quem não atingiu a puberdade. Violência é, por coação estatal, tirar da garota o seu direito de ter uma família com o homem que ela gosta e assim poder criar o fruto desse amor.

A juíza Andréa Pachá está equivocada. Criança não faz criança. Criança é a garota com menos de 9 anos de idade, que não atingiu a puberdade. Quem verdadeiramente vitimou essa menina foi o Estado ao tirar da mulher o seu direito de ter uma família com o homem que ela gosta e assim poder criar o fruto desse amor. Não faz sentido falar de estupro quando há consentimento sexual. A garota se relacionava consessualmente com o homem. Devida à intervenção estatal, a jovem vai ser obrigada a ser mãe solteira de uma criança filha de pai presidiário. Sem a intervenção estatal, o casal estaria junto.

A repórter do G1, que foi sensurada pela magistrada Andréa Pachá, deu voz à garota, permitindo que a jovem exprimisse a sua vontade. Qual o problema disso? Receio da lei que criminaliza o sexo consentido seja questionada? Violência no uso perverso das palavras é ignorar a voz da vítima, tratar como estupro o sexo consensual. A jornalista do G1 teve a sensibilidade que a magistrada da área da família não teve, infelizmente. Jornalista é para noticiar fatos, não escrever notícias como bem quiser. Lamentavelmente, essa jornalista, ou repórter, foi injustiçada por ser profissional, por fazer o seu trabalho da forma correta.

A jovem mulher grávida quer ficar com o pai do seu filho. Por que a sua vontade não é ouvida? Os moralistas preferem obrigar essa garota a ser mãe solteira, a ter que criar o filho sozinha, a se sentir culpada pela prisão do pai do seu filho. O moralistas não estão nem aí para a criança que vai ser obrigada a nascer sem a presença do pai e sofrer com toda essa situação.
Nessa hora não aparecem defensores da mulher para apoiar a vontade da jovem de viver com o seu amor, nem defensores da criança e nem pró-vida para apoiar a criança no seu direito de ter seus pais. Muito menos defensores da família para apoiar essa família. Sim são uma família. Uma família vítima de vários preconceitos. Preconceito etário, preconceito por engravidar cedo, etc.

Outros casos de relacionamentos sexuais de jovens mulheres:

Justiça da Itália inocenta idoso de 60 anos por fazer sexo com menina de 11

Lola Benvenutti, uma mulher contra a hipocrisia, admite seu desejo por sexo aos 11 anos e ter escolhido um homem de 30 para tirar a sua virgindade

Mais um rapaz vítima da hipocrisia moralista, preso por assumir sua mulher e ter sido feito de bobo pelos pais da jovem:

Valentina do MasterChef Junior e a Demonização da Sexualidade

MasterChef Junior é um Reality Show da Band que estreou na terça-feira (20/10/2015), onde pré-adolescentes de oito anos a adultos de treze anos, de ambos os sexos, participam de uma competição de culinária. Dentre as participantes está Valentina Schulz, uma mulher de doze anos de idade, que vem aprendendo sobre culinária desde os seus dez anos. Conhece a gastronomia de diversos países. De paladar apurado e desenvolvido, a ninfeta chegou ao Reality Show da Band para disputar com outros cozinheiros.

Valentina Schulz

Valentina Schulz do MasterChef Junior 2015: Mulher de 12 anos faz sucesso nas redes sociais e irrita moralistas

Valentina do MChef, a novinha loira de olhos azuis, foi alvo de elogios de admiradores e de brincadeiras de zueiros na Internet, redes sociais, Twitter, Facebook, fóruns etc, como “panela nova que faz comida boa”, “amorzinho”, dentre outros. Fato comum entre mulheres adolescentes famosas, como Larissa Manoela Taques Elias SantosChloë Grace Moretz, que têm muito mais fama que Valentina e com infinitamente mais admiradores e zueiros.

Larissa Manoela Taques Elias Santos, ou apenas Larissa Manoela, é atriz, cantora, dubladora e modelo brasileira. A jovem já participou de filmes, dublagens e telenovelas, sendo o seu trabalho de mais destaque a telenovela Carrossel, como Maria Joaquina, a vilã esnobe.

Chloë Grace Moretz, ou apenas Chloë Moretz, é atriz norte-americana, que participou dos filmes The Amityville Horror, Days of Summer, Diary of a Wimpy Kid, Kick-Ass, Let Me In, Hugo e Dark Shadows.

Larissa Manoela e Chloë Moretz

Larissa Manoela Taques Elias Santos (Maria Joaquina) e Chloë Grace Moretz, duas jovens atrizes populares na Internet.

Diante do sucesso da ninfeta cozinheira na telinha, aparecem moralistas odiadores do sexo para falar abobrinhas sobre “sexualização infantil”, “pedofilia” e “estupro”, e fabricarem polêmicas moralistas em cima da garota de olhos azuis, por causa de meros comentários na Internet. Uma grande covardia feita em cima dessa jovem mulher. A quem diga que criaram essa polêmica propositalmente para blogs lucrarem e aumentar a audiência do programa MasterChef Junior, não sendo apenas um caso de histeria de moralistas odiadores do sexo, mas algo orquestrado por pessoas interessadas em ganhar dinheiro e publicidade em cima de polêmicas fabricadas.

O que foi realmente prejudicial para a ninfeta Valentina? Seus admiradores e zoeiros? Que teriam passados despercebidos se não estivessem sido explorados pela mídia? Ou todas as polêmicas que fabricaram em cima dela, com notícias e “textões” moralistas, histéricos e apocalípticos, relacionando seu nome a abusos sexuais?

Toda essa paranoia puritanista de demonizar a sexualidade é exportada dos EUA e países europeus. Para se ter ideia, nos Estados Unidos da América, um menino de apenas nove anos de idade foi acusado de assédio sexual, após dizer a uma menina que seus olhos eram “como diamantes” em uma carta de amor enviada em sala de aula[1]. Coitado desse garoto! Tão novo e passando por uma situação dessa, por gostar de uma menina. Ele não fez nada de errado. Não matou ninguém. Apenas abriu o seu coração numa carta romântica.

A sexofobia estadunidense não é recente, as cruzadas feministas do século XIX correspondiam às campanhas moralistas, puritanistas e sexofóbicas de “pureza social“, sob as quais o feminismo socialista se destacou. Linda Gordon escreveu no “Woman’s body, woman’s right” o seguinte: “Quanto mais perto olhamos, mais difícil é distinguir os grupos de pureza social dos grupos feministas”. De modo geral, as campanhas de pureza social tentaram, por exemplo, impor sua suposta “moral” na sociedade através da força da lei, tal como consolidado nas leis anti-pornografia.

Deixemos o moralismo de lado e adetremos um pouco na Biologia. Adolescentes são naturalmente sexualizados e nada tem a ver com pedofilia, a atração sexual primária por quem não atingiu a puberdade (em geral, por pessoas com menos de nove anos de idade). E a grande responsável por essa sexualização é a puberdade. Não é à toa que se masturbam, vão atrás de pornografia, ocorrem namoros, casam etc. A “culpa” é da Biologia! Da natureza. Não do fim do mundo.

A puberdade feminina começa por volta dos nove anos de idade com o broto mamário, assim a mulher deixa de ser criança (quem não atingiu a puberdade) e passa a ser adolescente (quem alcançou a puberdade). Por volta dos 12 anos, a mulher têm a primeira ovulação e ocorre a menarca (primeira menstruação). Tornar-se uma mulher adulta (quem alcançou a capacidade reprodutiva). Embora a menarca seja um fenômeno tardio dentro do processo puberal, muitos pais percebem, só neste momento, que suas filhas não são mais crianças[2]. Crianças não engravidam!

Sabiamente, o Ministro Marco Aurélio de Mello do STF afirmou, em 1996, “Nos nossos dias, não há crianças, mas moças de doze anos.” sobre o caso do jugalmento do habeas-corpus de absolvição do encanador Márcio Luiz de Carvalho, que manteve relações sexuais com uma mulher de 12 anos. Além do ministro relator, Marco Aurélio de Mello, outros dois, Maurício Corrêa e Francisco Rezek, votaram pela absorvição do encanador.

Absolvição parecida e sábia também deu-se em 2012, a Ministra Maria Thereza de Assis Moura, da 3ª Seção do Superior Tribunal de Justiça, entendeu que a presunção de violência no crime de estupro de vulnerável tem caráter relativo e pode ser afastada diante da realidade concreta, porque o bem jurídico tutelado é a liberdade sexual.  A ministra afirmou: “Não se pode considerar crime fato que não tenha violado, verdadeiramente, o bem jurídico tutelado — a liberdade sexual.

Guilherme de Souza Nucci e Estupro de Vulnerável

“Ambos devem cuidar de seu filho, em liberdade, namorando ainda, e trabalhando para sustentar o fruto do seu amor. Jamais estupro. Simplesmente amor.” Guilherme Nucci

Belo posicionamento do Dr. Guilherme Nucci, importante jurista brasileiro. Teve lucidez e bom senso, que infelizmente, a bancada evangélica, ou cristã, do Congresso não tem. O desembargador, sim, defendeu uma familia, defendeu uma criança no ventre de sua mãe! Não a bancada, que se diz cristã no Congresso, que criminaliza o amor, criminaliza famílias – ao barrar a redução da idade de consentimento para 12 anos, definida no PLS 236/2012 (artigos 186, 187 e 188 [3]).

Hit “Take Me in Your Arms” (conhecida no Brasil pelo Funk Melody Melô da Princezinha) do primeiro álbum de estúdio chamado “Love Can’t Wait” (data de lançamento: 1991) de Suzanne Casale Melone, mais conhecida por Lil Suzy (Nova York, 1 de março de 1979), uma cantora e compositora que foi muito influente no freestyle, no inicio dos anos 90. Música romântica gravada quando ela tinha 12 anos. O clipe (videoclipe) simboliza um casal apaixonado e seus filhos (as crianças que aparecem):

Uma mulher de 12 anos, que está na idade até de ter filhos, claro que vai atiçar o desejo sexual dos homens. Logo, a fêmea precisa ser sexualmente atraente para poder atrair o macho e assim ser fecundada por ele para gerar a prole. Não é novidade que historicamente mulheres casavam por volta dos 12 anos de idade. O casamento sempre foi uma forma de organizar os relacionamentos amorosos e dar segurança jurídica à família que se forma.

Isso é tão óbvio, mas o moralismo de certas pessoas, que parecem odiar sexo, não enxega o elementar. Esse pessoal só sabe demonizar a sexualidade e as maiores vítimas são os adolescentes. Infelizmente, o blog já recebeu mensagens de rapazes de catorze anos se considerando pedófilos por se sentirem atraídos por mulheres de doze anos, para se ter idéia de até onde vai a neurose sexual.

A feminista e ex-prostituta Lola Benvenutti, de 23 anos, perdeu sua virgindade, quando era uma novinha de 11 anos de idade, com um homem de 30 anos. Será que ela foi uma incapaz de consentir sexo aos 11 anos de idade? Claro que não. Ela mesma confirma que não era incapaz coisa nenhuma, que foi fazer sexo por vontade e ainda ficou querendo mais, porque o seu parceiro sexual, de 30 anos de idade, não deu conta de recado de apagar o fogo da jovem moça.

A ninfeta Lola Benvenutti não via a hora de perder a virgindade, planejou o momento e chamou para fazer o “serviço” o homem em questão. Não é nenhuma novidade que ela tenha feito sexo às escondidas, como a maioria das jovens mulheres fazem. Qual adolescente anda avisando que vai dar o seu primeiro beijo ou vai ter a sua primeira transa?

A jovem adolescente nem precisaria de alguém maior de 18 para fazer sexo com ela. Qualquer rapaz adolescente saudável tem libido e desejo de sobra para isso, mas a moçoila de 11 anos queria um homem mais experiente e longe do seu convívio social, para que ele não se gabasse entre os conhecidos dela. Jovem esperta, ela queria sigilo e discrição. Bruna Marquezine também perdeu a virgindade aos 11 anos de idade[4]

Lamentavelmente, Lola sofre preconceito por ser uma mulher empoderada de agência e de atitude, por fazer o que deseja e não bancar a coitadinha. Ela sofre preconceito de pessoas moralistas e machistas que dizem que ela foi estuprada por ter feito sexo abaixo da idade de consentimento sexual, como se leis fossem perfeitas e definissem seres humanos.

É uma tremenda irresponsabilidade demonizar e criminalizar a sexualidade. É violência querer implantar, na mente de uma mulher, que um ato consentido foi estupro, por causa de uma mera definição legal, fruto do conservadorismo retrógrado e anticristão. Estupro é sexo à força sem consentimento. Se tem consentimento, não é estupro, mesmo que a lei diga o contrário, afinal no papel cabe tudo. Negros já foram considerados sub-humanos, pessoas já foram perseguidas e oprimidas de tudo que é jeito por causa de leis. Leis injustas e opressoras não é novidade da modernidade.

Uma fã de 12 anos inspirou a música “Nosso Sonho” da dupla de funk Claudinho & Buchecha (formada pelos cantores Claudio Rodrigues de Mattos e Claucirlei Jovêncio de Sousa):

Luiz Gonzaga – O xote das meninas (Mandacaru quando fulora na seca – 1953):

Ela só quer, só pensa em namorar…

Garota revoltada por não ter namorado: “Todo mundo tem namorado menos eu”

Alexandre, pai da Valentina, e demais familiares. Relaxem! Vocês já foram adolescentes, sabem que a sexualidade aflorar é normal. Não deixem que medos, inseguranças e a histeria dos moralistas abalem vocês e atrapalhem a vida da jovem. Larissa Manoela e Chloë Moretz têm, de maneira infinita, muito mais admiradores e fâs, e são muito mais alvos de comentários deselegantes e nem por isso deixam de seguir as suas carreiras no cinema e na televisão.

Os terroristas do moralismo moderno se aproveitam dos medos e inseguranças das pessoas, para promoverem o ódio, a intolerância, a histeria e os preconceitos etário, racial, étnico, social e contra nordestinos.

Casais vítimas do preconceito etário:

Filho do dono da Friboi

Suposto herdeiro da Friboi, rapaz de 13 anos, e sua namorada de 27. Ele seria mesmo filho de proprietário da Friboi ou apenas seria uma analogia à beleza da mulher? A história viralizou em 2014. A Friboi é uma marca de carnes da JBS S.A.

Lu Bernardi e Ronald Nazário de Lima

Lu Bernardi, 27 anos, e Ronald, 14 anos, filho do ex-jogador de futebol Ronaldo Nazário (Ronaldo Fenômeno ou Ronaldinho) e da modelo e ex-futebolista Milene Domingues (Ronaldinha).

Caetano Veloso e Paula Mafra Lavigne

Caetano Veloso, 40 anos, e Paula Mafra Lavigne, 13 anos. Paula perdeu sua virgindade aos 13 anos com Caetano.

Angelica, aos 14 anos de idade, namorou Cesar Filho

Angélica, aos 14 anos, começou a namorar César Filho, de 28 anos.
Angélica se tornou apresentadora de TV aos 12 anos. Aos 14 anos, fez sucesso com a canção Vou de Táxi.

Kelly Key com o seu namorado Latino

Kelly Key, aos 13 anos de idade, começou a namorar Latino de 23.

Daniela Sarahyba, de 14 anos, com o seu namorado, Marcio Garcia, de 28 anos, em 1998

Na foto de 1998, Daniela Sarahyba, aos 14 anos de idade, está com o seu namorado, o ator Marcio Garcia, de 28 anos. O relacionamento amoroso durou 2 anos.
Daniela Sarahyba ingressou na carreira de modelo aos 12 anos de idade, e aos 17 anos, comprou o seu primeiro apartamento.

Marcelo Camelo e Mallu Magalhaes

Marcelo Camelo e Mallu Magalhaes

Casal vítima de preconceito etário no Facebook

Brayan Rhevan e Jhenny Rhevan, casal vítima de preconceito inter-etário no Facebook

Casal Edinho Silva e Fanii Godoi

Edinho Silva, 35 anos, e Fanii Godoi, 12 anos, vítimas de preconceito etário no Yahoo! Respostas

Laercio de Moura

Laercio de Moura, participante da 16ª edição do Reality show Big Brother Brasil, perseguido por feministas etaristas, machistas, misândricas e misóginas.

José e Maria, a mãe de Jesus Cristo

José, 90 anos, e Maria, 12 anos, a mãe de Jesus Cristo. Se até o casal sagrado do cristianismo não é respeitado por seus seguidores cristãos, quem poderia ser?

Aulas básicas sobre Biologia:

Ensino Médio Telecurso: https://www.youtube.com/watch?v=ifhBMyw3big

Prof. Paulo Jubilut: https://www.youtube.com/watch?v=oLtKGtyhgbw

Ótimos vídeos do especialista em reprodução humana Dr. Elsimar Coutinho: https://www.youtube.com/user/ElsimarCoutinho/videos

[1]https://br.noticias.yahoo.com/blogs/super-incrível/garoto-de-nove-anos-é-acusado-de-assédio-moral-após-enviar-carta-de-amor-175017093.html
[2]http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0004-27302000000300003&script=sci_arttext&tlng=es
[3]http://www.senado.leg.br/atividade/rotinas/materia/getPDF.asp?t=111516&tp=1
[4] Bruna Marquezine: “perdi a virgindade aos 11 anos” -http://www.diarioonline.com.br/entretenimento/fama/noticia-403142-marquezine-perdi-a-virgindade-aos-11-anos.html visto em 31/03/2017

Infantilização da Adolescência

Infantilização da Adolescência

A adolescência está sendo cada dia mais infantilizada. A fase da vida que sempre foi considerada parte da vida adulta vem se tornando uma extensão artificial da infância desde a Era Vitoriana.

Estão substimando a capacidade e maturidade inerente à adolescência. O adolescente tem plena consciência dos seus atos, têm domínio sobre a sua sexualidade e escolhas.

Infelizmente, muitas pessoas estão indo contra coisas definidas por Deus.

Adolescentes têm plena capacidade de responder por seus atos e Deus nunca tratou adolescentes como crianças. Temos como exemplos Davi, Salomão e a própria Maria, a mãe de Jesus. Todos chamados a grandes responsabilidades na adolescência.

Fizeram da adolescência uma classe especial para o crime e para a irresponsabilidade.

Pelas nossas leis quem tem a apartir de doze anos é adolescente, não criança. Segundo a ONU é adolescente quem tem apartir de dez anos.

Na tradição judaica, a mulher é considerada ADULTA com doze anos e o homem com treze anos.

A própria Maria, a mãe de Jesus, estava apta ao casamento com doze anos como qualquer judia. Há até escritos do séculos I e II que fala que ela teria sido desposada com essa idade pelo noventão São José.

Para Deus não existe diferença entre adolescentes e adultos, porque ambos já têm consciência plena de si e dos seus atos. A idade da razão é sete, não dezoito.

Além do exemplo de Maria, podemos citar vários outros:

O adolescente Davi que teve a missão de enfrentar o Golias. Veja que ele teve que lutar por sua nação como pela sua própria vida. Um garoto sem nenhuma proteção enfrentou um gigante forte, bem protegido e armado.

Salomão que foi rei com 12 anos (Se você acha isso um absurdo é por que está com a mente alienada pela sociedade atual que infantiliza pessoas).

Etc.

Parem de colaborar com a infatilização da adolescência. Criança é quem tem menos de nove anos de idade. Tratar adolescentes como crianças é anticritão, porque está indo contra a ordem natural de Deus e o próprio Deus, como foi dito, chamou vários adolescentes para cumprir missões essenciais. O que não é nenhuma novidade, uma vez que, quem definiu a puberdade foi Ele próprio e a puberdade sempre foi o marco da humanidade para o casamento.

“Mais vale um adolescente pobre, mas sábio, que um rei velho, mas insensato, que já não aceita conselhos;” (Eclesiastes 4,13)

Pesonagens adolescentes cada vez mais infantlizados na mídia.
Seiya de Pégaso de “Os Cavaleiros do Zodíaco” ou “Saint Seiya” (聖闘士星矢, Seinto Seiya) e Kouga de Pégaso de “Saint Seiya Ω” (聖闘士星矢Ω, Seinto Seiya Omega):

Seiya de Pégaso e Kouga de Pégaso

Seiya de Pégaso (ou Seiya de Pégasus) e Kouga de Pégaso (ou Kouga de Pégasus). Ambos personagens de 13 anos, mas o segundo é mais infantilizado que o primeiro.