Pedofilia deixa de ser considerada doença

A pedofilia (ou pedossexualidade), também chamada pedofilia erótica e pedossexualidade erótica, deixou de ser considerada doença pela OMS (Organização Mundial da Saúde), como revela a sua nova revisão da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde, o CID-11. Também deixaram a listagem de patologias o Fetichismo, o Travestismo Fetichista e o Sadomasoquismo – consideradas como desordens de preferência sexual – , e Transexualismo e Travestismo Bivalente – tratadas como transtornos da identidade sexual. O pedófilo, o fetichista, o sadomasoquista, o transexual e o travesti não são mais considerados doentes. [1][2]

A Pedofilia é uma forte orientação sexual por crianças (indivíduos impúberes, ou seja, quem não atingiu a puberdade, em geral, menores de 9 anos de idade). Para caracterizar a condição de pessoa pedófila, deve-se verificar que o interesse sexual por crianças (entes pré-púberes) é maior ou igual ao interesse sexual por indivíduos sexualmente maduros (entes púberes/pós-púberes).

A pedofilia foi considerada doença mental (um transtorno de preferência sexual) no CID-10, mas deixou a lista de patologias mentais no CID-11, que patologiza, na secção desordens parafílicas (paraphilic disorders), apenas o Transtorno Pedofílico (Pedophilic Disorder, também traduzido como Distúrbio Pedofílico ou Desordem Pedofílica), que abrange os pedófilos com grande dificuldade de se controlar ou que sofrem muito por sua condição sexual, como está na descrição:

O transtorno pedofílico é caracterizado por um padrão sustentado, focalizado e intenso de excitação sexual – manifestado por pensamentos sexuais persistentes, fantasias, impulsos ou comportamentos orientadas para pessoas pré-púberes. Além disso, para que o transtorno pedofílico possa ser diagnosticado, o indivíduo deve ter agido com base nesses pensamentos, fantasias ou impulsos ou ser acentuadamente angustiado por eles.[1]

Essa definição não é nenhuma novidade na psiquiatria, porque já estava no DSM-5 (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fifth Edition), Quinta Edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria (APAAmerican Psychiatric Association)[2]. Como explica a revista Psychology Today:

Para a condição a ser diagnosticada, um indivíduo deve agir sobre seus impulsos sexuais ou sentir angústia significativa como resultado de seus desejos ou fantasias. Sem esses dois critérios, uma pessoa pode ter orientação sexual pedofílica, mas não transtorno pedofílico. (For the condition to be diagnosed, an individual must either act on their sexual urges or experience significant distress as a result of their urges or fantasies. Without these two criteria, a person may have a pedophilic sexual orientation but not pedophilic disorder).[3]

Por tanto, Pedofilia não é sinônimo de Transtorno Pedofílico e é reconhecida como uma orientação sexual normal pela OMS e pela APA, como nas referências citadas. Pedofilia não é mais doença. Apenas está nas listas do CID-11 e do DSM-5, o Transtorno Pedofílico. Assim como aconteceu com o homossexualismo, que consta no CID-9, e não no CID-10, onde foi colocada a homossexualidade egodistônica para os casos de homossexuais que sofrem com sua condição, deixando a homossexualidade em si de ser patológica, doentia, anormal.

No CID-10, casos de transtornos psicológicos ou de comportamento que levavam a pedossexualidade, homossexualidade e transexualidade poderiam ser enquadrados, respectivamente como pedossexualidade egodistônica, homossexualidade egodistônica e transexualidade egodistônica (a classificação também incluía identidade de gênero) na Orientação sexual egodistônica. O DSM-5 manteve a transexualidade como “Disforia de Gênero” e excluiu a sexualidade egodistônica (como consequência, também a transexualidade egodistônica).[2][7]

Será normal a intensa atração sexual por quem é inerentemente estéril?
É sabido que a puberdade é a grande responsável pela sexualidade adulta e pela atração sexual adulta, visando a reprodução da espécie. Por isso, a infância (fase que vai só até o início da puberdade, por volta dos 9 anos de idade) é sexualmente desinteressante, como regra. Sendo assim, não faz muito sentido a atração erótica por pessoas do mesmo sexo (homossexualidade) já que a relação também é estéril. Assim, ambos, pedossexualidade e homossexualidade, foram consideradas parafilias eróticas, pedofilia e homossexualismo, respectivamente, e patologizadas.[8].

E outra. Um sujeito se considerar do sexo oposto ao do seu corpo também seria normal? É normal uma pessoa se considerar sendo do sexo oposto ao do seu corpo? A incongruência mente-corpo, (no caso, incongruência de gênero) não seria exatamente o que caracterizaria a transexualidade (transexualismo) e travestilidade (travestismo) como mazelas (doenças)? Ciência à parte, o CID e o DSM sofrem influências de lobbys e essas influências determinam os paradigmas para considerar algo como doença (patologia).

Vê-se muita preocupação por parte de ativistas LGBTs em fazer a sua condição sexual ser despatologizada, como uma forma de combater preconceitos e estigmas. Mas, ninguém combate a estigmatização de doentes. Todo mundo está suscetível a ficar doente e o estado patológico não deveria ser desculpa para haver discriminações e hostilizações.

Apesar das reflexões, o blog não endossa qualquer preconceito contra minorias sexuais, pedossexuais (pedofobia), homossexuais (homofobia), transexuais (transfobia) .

Referências:

[1] O CID-11 (ICD-11) contém o “Transtorno Pedofílico” como sub-classe (6D32 Pedophilic disorder)  da classe “Transtornos Parafílicos” (Paraphilic disorders), no Capítulo dos “Transtornos mentais, comportamentais ou do neurodesenvolvimento” (06 Mental, behavioural or neurodevelopmental disorders). “Desordem Pedofílica”, “6D32 Pedophilic disorder”, CID-11 (ICD-11), OMS (WHO) -https://icd.who.int/browse11/l-m/en#/http://id.who.int/icd/entity/517058174

[2] MANUAL DIAGNÓSTICO E ESTATÍSTICO DE TRANSTORNOS MENTAIS 5ª EDIÇÃO DSM-5 -https://aempreendedora.com.br/wp-content/uploads/2017/04/Manual-Diagnóstico-e-Estatístico-de-Transtornos-Mentais-DSM-5.pdf

[3] “Pedophilia”, Psychology Today -https://www.psychologytoday.com/us/conditions/pedophilia

[4] Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde 10ª Revisão (CID-10) – Versão WHO para 2016. [International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems 10th Revision (ICD-10)-WHO Version for 2016] – “Chapter V Mental and behavioural disorders (F00-F99)” -http://apps.who.int/classifications/icd10/browse/2016/en#/F60-F69

[5] O CID-10 (ICD-10) contém o “Fetichismo” como sub-classe (F65.0), o “Travestismo Fetichista” como sub-classe (F65.1), a “Pedofilia” (Pedossexualidade) como sub-classe (F65.4) e o “Sadomasoquismo” como sub-classe (F65.5) da classe “Transtornos da Preferência Sexual” (F65), no Capítulo dos “Transtornos Mentais e Comportamentais” (Capítulo V).

[6] O CID-10 (ICD-10) coloca a “Transexualismo” (Transexualidade) como sub-grupo (F64.0) e o “Travestismo bivalente” (Travestilidade) como sub-grupo (F64.1) do grupo “Transtornos da Identidade Sexual” (F64), no Capítulo dos “Transtornos Mentais e Comportamentais” (Capítulo V).

[7] O CID-10 (ICD-10) abarca o “Orientação Sexual Egodistônica” como sub-gênero (F66.1) do gênero “Transtornos psicológicos e comportamentais associados ao desenvolvimento sexual e à sua orientação” (F66), no Capítulo dos “Transtornos Mentais e Comportamentais” (Capítulo V).

[8] O CID-9 (ICD-9) inclui o “Homossexualismo” (Homossexualidade) como sub-categoria (302.0) e a “Pedofilia” (Pedossexualidade) como sub-categoria (302.2), da categoria “Desvios e Transtornos Sexuais” (302), no Capítulo dos “Transtornos Mentais” (Capítulo V).

Anúncios

Fantástico comete preconceito etário

A edição do dia 06/05/2018 do programa Fantástico, da Rede Globo, comete preconceito etário no seu quadro “Vai Fazer o Quê“. Onde dois atores, uma mulher de 16 anos com cara de 12 anos se encontra com um homem bem mais velho e ele tenta forçar algo mais.  Uma cena sensacionalista copiada da tv americana CBS. É lamentável que um apresentador como Ernesto Paglia se proponha a fazer um programa preconceituoso como esse. E ainda foi copiado de uma emissora americana.

O programa trata o fato de que o homem ser bem mais velho e ter mentido a idade fosse um perigo e que se ele tivesse mesmo 16 anos não haveria problema algum. Há vários adolescentes cometendo crimes bárbaros por aí, mas para a encenação sensacionalista, o grande perigo é o homem ser mais velho. Uma abordagem claramente etarista.

Uma programa ainda trata o homem como potencial pedófilo. Pedófilo por quê? Por que seria abusador? Mas, pedófilo curte criança, pessoa pré-púbere, em geral, com menos de 9 anos de idade. Assim, o Fantástico faz o desserviço de banalizar a pedofilia.

Há riscos em se encontrar como uma pessoa desconhecida, mas o perigo não é devido ao fato da pessoa ser “mais velha”, “feia” e “gorda”. E nem por mentir a idade. O Fantástico copiou uma cena preconceituosa e sensacionalista. Cadê a tal qualidade Globo? Não mostrou nenhuma.

MBL, Caetano Veloso e Roman Polanski

O MBL (Movimento Brasil Livre)[1] baixou o nível quando comparou o caso do Caetano Veloso (Caetano Emanuel Viana Teles Veloso), que fez sexo consensual com sua mulher Paula Lavigne de 13 anos, com Roman Polanski (Rajmund Roman Liebling), que estuprou a jovem modelo Samantha Geimer (Samantha Jane Gailey) de 13 anos. Para piora a baixaria ainda chamou Caetano de “pedófilo” e houve a promoção da hashtag #CaetanoPedófilo.

Nenhum dos dois casos tem a ver com pedofilia, porque pedofilia é uma forte orientação sexual antes da puberdade, em geral, antes dos 9 anos de idade. A desonestidade de banalizar a pedofilia vem dos EUA e o pessoal com mentalidade de colônia copia sem o menor senso crítico.

MBL e seus companheiros ideológicos da direita [2][3], ao comparar Caetano Veloso com Roman Polansk, ignoraram a questão fundamental: o consentimento sexual! No caso do Caetano, ele namorava a Paula quando ela perdeu a sua virgindade no aniversário dele de 40 anos por vontade própria. Já Roman Polanski drogou a modelo Samantha Geimer para fazer sexo com ela.

O Antagonista (sítio Web jornalístico criado pelos jornalistas Diogo Mainardi e Mário Sabino), chamado de Anestesista pelo site Ceticismo Político, foi atacado também de forma desonesta. O site Ceticismo Político compara uma mulher de 13 anos, que já tem idade para procriar, portanto adulta, com uma criança de 4 anos:

‘Isso automaticamente bate de frente com toda a argumentação contra o ato de forçar uma criança a tocar no corpo de um homem nu no MAM. Basta dizer, por distinção de emergência, que a criança “sempre foi adulta”.’ (Ceticismo Político[5])

O Antagonista não errou ao chamar uma mulher de 13 anos de “adulta”[4], porque a capacidade reprodutiva é a principal característica de um indivíduo adulto. A idade média da menarca é 12 e a puberdade (que começa por volta dos 9) é responsável pela sexualidade adulta. A maioridade da natureza é a puberdade. Não é a toa que historicamente, mulheres já estavam casando e formando família por volta dos 12 anos, como acontece ainda hoje, só que em quantidade bem menor.

Já uma menina de 4 anos é, exceto nos casos de puberdade precoce severa, uma menina impúbere (ou seja, que ainda não atingiu a puberdade). Por tanto, uma criança. Não dá para comparar uma criança de 4 anos com uma mulher de 13 anos. O curioso é que direita chama uma mulher de 13 anos de criança, quando a mesma faz sexo consentido, mas quando um adolescente pratica um crime automaticamente perde o seu status de “criança”.

Pedofilia é antes da puberdade, em geral, antes dos 9 anos de idade.A puberdade é responsável pela sexualidade adulta. Ela começa por volta dos 9 anos, não 18.Não há nada de imoral no caso do Caetano e Paula. Duas pessoas que quiseram ficar juntas e ficaram. Imoral é o preconceito etário e o moralismo idiota que infantiliza sexualmente. Quem não gostou que vá reclamar com Deus ou com a Natureza.

A nossa espécie entra na puberdade para procriar. A maioridade da natureza é a puberdade. Caetano não fez sexo com uma criança. Criança é quem não atingiu a puberdade, em geral, quem tem menos de 9 anos de idade. Uma mulher de 12 anos é adulta porque já tem idade para procriar. A menarca é não é algo simbólico. Mulheres não ovulam à toa.

[1] “Movimento Brasil Livre”-mbl.org.br/

[2] “Roman Polanski não entra nos EUA desde os anos 70 por ter feito sexo com uma adolescente de 13 anos”, Ceticismo Político -ceticismopolitico.com/2017/10/22/roman-polanski-nao-entra-nos-eua-desde-os-anos-70-por-ter-feito-sexo-com-uma-adolescente-de-13-anos/

[3] ‘Após Polêmica Sobre Cabaço De Lavigne, Roman Polanski Manda Recado Para Caetano: “Tamo Junto”’, Joselito Müller -https://www.joselitomuller.com/apos-polemica-sobre-cabaco-de-lavigne-roman-polanski-manda-recado-para-caetano-tamo-junto/

[4] “Caetano Veloso processa MBL”, O Antagonista -https://www.oantagonista.com/sociedade/caetano-veloso-processa-mbl/

[5] ‘Site O Anestesista usa argumento bizarro dizendo “sempre foi adulta” para defender Caetano/Lavigne; não colou’, Ceticismo Político -https://ceticismopolitico.com/2017/10/22/site-o-anestesista-usa-argumento-bizarro-dizendo-sempre-foi-adulta-para-defender-caetanolavigne-nao-colou/

Olavo não tem razão sobre Caetano Veloso

Olavo não tem razão! Seus fãs gostam de afirmar que “Olavo tem razão!” Mas, ele não tem. Olavo de Carvalho, ou Olavo Luiz Pimentel de Carvalho, não tem razão. O Guro da recente direita brasileira fala bobagens e seus seguidores aceitam como bons idiotas úteis. O mínimo que você precisa saber para não ser um Idiota é usar o cérebro, e não ser seguidor idólatra de guros, como Olavo de Carvalho.

Olavo Luiz Pimentel de Carvalho

Olavo não tem razão.

Olavo, na sua ignorância ou desonestidade afirma, para atacar Caetano Veloso, que um homem que transa com uma mulher de 13 anos é pedófilo. Olavo de Carvalho se vale do preconceito etário para ofender um cantor renomado da música brasileira por ser de esquerda. Bem, a Virgem Maria, aos 12 anos, casou com José de 90 anos e logo ficou grávida do Espírito Santo. São José seria “pedófilo”? O Espírito Santo seria “pedófilo”?

Nem o Espírito Santo, nem São José e nem Caetano Veloso são pedófilos. Caetano Veloso não é pedófilo por ter feito sexo, aos 40 anos, com sua mulher de 13 anos, a Paula Lavigne. Pedofilia é uma forte orientação sexual antes da puberdade, em geral, antes dos 9 anos de idade. Algo que qualquer índio ou analfabeto entende. Logo, Olavo de Carvalho, que não terminou a quarta série, também consegue entender.

[1] -https://www.facebook.com/olavo.decarvalho/posts/10155748397102192 ou -https://archive.is/QkDKs

Menina de 12 anos foge com “cinquentão” hippie

A mesma notícia sendo abordada de forma diferente pelo portal R7 (r7.com) em duas reportagens (matérias jornalisticas), uma feita pelo RecordTV Minas e outra pelo Cidade Alerta.

Reportagem da RecordTV Minas: “Menina de 12 anos foge com ‘cinquentão’ e deixa carta dizendo que iria suicidar“[1]

Reportagem do Cidade Alerta: “Mãe salva filha de 12 anos das mãos de pedófilo“[2]

A RecordTV Minas foi preconceituosa ao destacar o “cinquentão” (preconceito etário).
Mas, apesar disso, abordou a notícia de forma melhor e mais isenta que o Cidade Alerta, que infelizmente, vive de sensacionalismo. Um programa sem credibilidade nenhuma por ser demasiadamente sensacionalista e que lucra em cima da violência e do medo das pessoas. Imaginem um programa desse na época em que negros e gays eram discriminados. Esses programas seriam cruelmente racistas e homofóbicos.

A reportagem do RecordTV Minas acertou ao chamar a mulher de 12 anos de adolescente. Sim, tanto legalmente, quanto biologicamente, uma menina de 12 anos é uma adolescente, não criança. Felizmente, não apelaram para o “criança de 12 anos” e nem para o “pedófilo“. Típicos termos que maus jornalistas se valem para fazer suas reportagens sensacionalistas, como as reportagens do Cidade Alerta. Criança é quem não atingiu a puberdade, em geral, menores de 9 anos de idade. Pedofilia é antes da puberdade.

O Cidade Alerta é o típico programa que transforma qualquer ladrão de galinha em perigosíssimo serial killer. É comum pessoas inocentes serem cruelmente prejudicadas por programas assim. É um programa que se aproveita do medo das pessoas para lucrar com audiência. Falta ética e profissionalismo nesse programa. Mas, nesse mundo capitalista ganhar dinheiro é o mais importante na mente de muitas pessoas.

A mãe da garota não salvou a filha de pedófilo nenhum. Uma garota de 12 anos é velha para um pedófilo (pedofilia é antes dos 9 anos de idade) e a moça fugiu com o homem, ela não foi raptada por ele. Ela fugiu e estava querendo ser salva da própria mãe. A situação é tão séria que a jovem prometeu se suicidar (deixou uma carta dizendo que iria tirar a própria vida).

Se o jovem adolescente, seja homem ou mulher, não se entende com seus pais, é melhor que, como última atitude, fuja de casa do que atente contra a própria vida ou chegue ao ponto de matar seus próprios pais, como neste infeliz e trágico caso: Menina mata a mãe

Será que a garota é apaixonada pelo hippie e fugiu para viver esse amor? Ou o ambiente familiar é muito hostil? Dizem que o homem tem mais de 50 anos (não parece tanto) e muita gente é preconceituosa. O problema de muitos pais é idealizar os próprios filhos e nessa idealização há muitos preconceitos embutidos e a vontade de realização dos pais nos filhos. Mas, os filhos não são continuação dos seus pais. São outras pessoas e é natural que discordem de seus pais.

No vídeo, a mãe diz: “Você poderia fazer qualquer coisa, mas fugir? Minha filha você sabe o que esse homem vai fazer com você? Ele vai te estuprar e depois te prostituir”. Diante do desespero da mãe, a menina não demostrou nenhum sinal de arrependimento e ainda gritou com a mãe: “Tira suas mãos de mim.” A mãe pediu a ajuda de pessoas no lugar para impedir o embarque da garota.

Vídeo: MÃE IMPEDE FUGA DA FILHA DE 12 ANOS COM HIPPIE:

Vídeo: Mãe consegue impedir que filha de 12 anos fugisse com hipster:

Aparentemente é mais um caso de filha que foge com amante por seus pais não aceitarem o seu relacionamento amoroso. Ela não é a primeira jovem mulher a fugir e nem será a última. Esses casos não são raros. Por que será que jovens mulheres chegam ao ponto de fugir com seus amados?

Apesar da sociedade moderna infantilizar adolescentes, a adolescência faz parte da fase adulta. A infância termina por volta dos 9 anos de idade, com o início da puberdade (a puberdade feminina não começa com a menarca, mas sim anos antes e o primeiro sinal visível é o aparecimento do broto mamário).

Uma jovem mulher de 12 anos de idade já está na fase de deixar seus pais e ir formar seu próprio ninho com o seu amante. Por isso, que elas sentem muita vontade de namorar e de enfrentar a autoridade dos pais. Ela sente grande desejo de ser independente e fazer as suas próprias escolhas, como qualquer mulher adulta. E ela é adulta! A fase adulta da mulher começa com a puberdade. A puberdade começa por volta dos 9 anos de idade, não 18.

Com a puberdade, o sexo ganha importância na vida das pessoas (homens e mulheres). O jovem adulto passa a deixar os pais de lado e a querer resolver seus próprios problemas, a valorizar mais as amizades (seu relacionamento social) e a buscar possíveis parceiros sexuais e amorosos. Por isso, que há mulheres, em geral, moças maiores de 11 anos, que chegam a fugir com seus amados. Essas mulheres apenas estão seguindo o caminho natural da vida. Não são vadias e nem vagabundas por isso, como infelizmente algumas pessoas falam. São mulheres de atitude, que vão atrás do que querem. E, como toda experiência, pode ser boa ou ruim. A moça pode viver um grande amor ou quebrar a cara, se decepcionar. Faz parte da vida.

[1]http://noticias.r7.com/minas-gerais/menina-de-12-anos-foge-com-cinquentao-e-deixa-carta-dizendo-que-iria-suicidar-24032017

[2]http://noticias.r7.com/cidade-alerta/videos/-mae-salva-filha-de-12-anos-das-maos-de-pedofilo-24032017

Dudu Camargo é vítima de preconceito etário pelo Estadão

O jovem apresentador Dudu Camargo (Eduardo Camargo) jornal Primeiro Impacto, do SBT, foi vítima de preconceito etário por parte do jornal Estadão.

O Estadão fez uma péssima matéria com o título sensacionalista “Apresentador do SBT está ‘de olho’ em Maisa Silva e Larissa Manoela“.

Dudu Camargo não disse que estava “de olho” nessas duas mulheres, mas sim que acha Maísa Silva linda e talentosa e que ela e a Larissa Manoela fazem o seu tipo. Apenas isso! Entrevista dada ao programa TV Fama, da RedeTV.

Quem colocou as colegas de SBT do rapaz numa posição desconfortável foi o próprio Estadão ao forçar uma polêmica. Quem escreveu a matéria está com inveja de um rapaz de apenas 18 anos por estar apresentando um jornal? O SBT é do Silvio Santos e ele coloca quem ele quiser para apresentar os seus jornais.

Maísa não é nenhuma moça adolescente de 10 anos entrando na puberdade, muito menos uma criança de 6, quando chegou ao SBT. Ela é uma jovem mulher de 14 anos e, graças a Deus, por lei, ela pode fazer sexo, e muito sexo, até com o Silvio Santos! O problema é sexo, moralistas do Estadão? Vocês exploram o moralismo e o preconceito etário para prejudicar uma pessoa, um rapaz de 18 anos. Isso sim é muito antiético!

É totalmente saudável e esperado que homens se sintam atraídos por mulheres de 14 anos. A mulher entra na puberdade por volta dos 9 anos de idade, início da sua adolescência. A menarca vem, em média, aos 12 anos. Aos 12 anos a mulher está ovulando. Isso quer dizer que o seu corpo passa se preparar todo mês para uma gravidez. E para que uma gravidez possa ser possível, é preciso que a mulher atraia homens, tenham eles 12 anos ou 85 anos, como o grande Silvio Santos.

É óbvio que não é porque a mulher esteja na idade de gerar a prole, que ela vá logo fazer sexo. Isso depende de cada mulher. Umas já querem logo se deleitar no ato sexual, enquanto outras buscam adiar esse dia, como a Larissa Manoela, que disse querer casar virgem.

O Estadão ainda afirma que o rapaz gerou uma discursão ética. Como assim? Por dizer que certas mulheres fazem o seu tipo? Quem não teve ética foi o jornal Estadão por forçar polêmica por meio do preconceito etário e do moralismo para prejudicar um jovem iniciante apresentador de telejornal.

Infelizmente, o preconceito etário não é devidamente observado como o racismo. Programas e jornais abusam do preconceito etário nas suas abordagens sensacionalistas.

Dudu Camargo é um rapaz de 18 anos que ficou conhecido por assumir a apresentação do telejornal Primeiro Impacto, do SBT, em outubro. O moço é a pessoa mais jovem a apresentar um telejornal. E isso deixou muita gente incomodada! Preconceituosos que o acham jovem demais e invejosos que queriam estar no lugar dele.

É lamentável que pessoas de má índole se utilizem de um jornal de grande circulação, como o Estadão, para ficar forçando polêmicas para prejudicar o rapaz.

No Brasil, o etarismo ou preconceito inter-etário é vedado pela Constituição Federal de 1988: art. 3°, IV.

Fonte:http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/emenos/apresentador-do-sbt-esta-de-olho-em-maisa-silva-e-larissa-manoela/

Silvio Santos é vítima de preconceito por parte de Maísa

O site esquerdista HuffPost Brasil publicou uma infeliz matéria preconceituosa contra Silvio Santos (Senor Abravanel) ao afirmar que Maísa (Maisa da Silva Andrade) deu “uma boa resposta a Silvio” quando ela afirmou “Você já teve os seus anos de ser galã” e que a Helen Ganzarolli deveria fazer uma cena de amor com alguém “mais jovem” para combinar melhor [1]. A jovem Maísa manifestou o seu preconceito inter-etáriogerontofobia. A matéria do site de esquerda apoiou tal atitude infeliz como resposta à brincadeira do Silvio de fingir beijar a Helen.

Silvio Santos finge beijar Helen Ganzarolli

Silvio Santos simula beijo em Helen Ganzarolli e é vítima de preconceito por parte de Maísa

É para lamentar que um site de esquerda, que se diz lutar contra todo tipo de preconceito, apoiar uma atitude preconceituosa de uma jovem mulher de 14 anos de idade contra um senhor de 85 anos. Independente do que o Silvio tenha feito, nunca é justificável o preconceito. A velha máxima escravagista de “por o negro no seu lugar“, herdada no “por o pobre no seu lugar” é usada para se referir a atitude preconceituosa de Maísa contra o seu patrão Silvio Santos.

Ponha-se no seu lugar“, é uma expressão não totalmente em desuso, frequentemente invocada para ilustrar o comportamento das classes dominantes ou privilegiadas no Brasil, país tão marcado por seu passado escravagista e pelas enormes diferenças socioeconômicas. Ela é certamente uma marca da prepotência desses grupos, ao mesmo tempo em que aponta para a existência de zonas movediças, instáveis, de fronteiras interclasses, onde os que podem têm de se conservar atentos aos atrevimentos dos inferiores que tentem ultrapassá-las. Estes, por sua vez, conhecendo o impasse, procuram evitar humilhações, negociar posições e forçar caminhos.[2]

Maísa preconceituosa

Maísa preconceituosa com Silvio Santos

O “lugar” do negro, do pobre e do velho é onde eles quiserem. Silvio Santos é um senhor ativo a vida toda que ficou rico com o seu empreendimento e não deve ser desrespeitado por ser velho que gosta de viver a vida. A sociedade exclui velhos, como Maísa fez e o jornal “desconstruído” de esquerda apoiou.

Silvio Santos é um velho de sorte por ser rico e poder assim ter uma vida melhor. Diferente de muitos idosos que são maltratados, jogados em asilos e abandonados. Vítimas de uma sociedade preconceituosa, gerontofóbica, que idolatra o jovem e descarta o velho. No Brasil, o etarismo (preconceito inter-etário e demais preconceitos etários) é vedado pela Constituição Federal de 1988: art. 3°, IV.

[1] Silvio Santos passou do ponto em ‘brincadeira’ com Helen Ganzarolli. E Maísa o colocou em seu lugar http://www.brasilpost.com.br/2016/06/21/silvio-santos-beijo-hellen-ganzarolli-maisa-_n_10576908.html

[2] PONHA-SE NO SEU LUGAR: RESENHA DE MACHADO DE ASSIS – MULTIRACIAL IDENTITY AND THE BRAZILIAN NOVELIST, DE G. REGINALD DANIEL http://www.scielo.br/pdf/mael/v6n11/10.pdf