Dudu Camargo é vítima de preconceito etário pelo Estadão

O jovem apresentador Dudu Camargo (Eduardo Camargo) jornal Primeiro Impacto, do SBT, foi vítima de preconceito etário por parte do jornal Estadão.

O Estadão fez uma péssima matéria com o título sensacionalista “Apresentador do SBT está ‘de olho’ em Maisa Silva e Larissa Manoela“.

Dudu Camargo não disse que estava “de olho” nessas duas mulheres, mas sim que acha Maísa Silva linda e talentosa e que ela e a Larissa Manoela fazem o seu tipo. Apenas isso! Entrevista dada ao programa TV Fama, da RedeTV.

Quem colocou as colegas de SBT do rapaz numa posição desconfortável foi o próprio Estadão ao forçar uma polêmica. Quem escreveu a matéria está com inveja de um rapaz de apenas 18 anos por estar apresentando um jornal? O SBT é do Silvio Santos e ele coloca quem ele quiser para apresentar os seus jornais.

Maísa não é nenhuma moça adolescente de 10 anos entrando na puberdade, muito menos uma criança de 6, quando chegou ao SBT. Ela é uma jovem mulher de 14 anos e, graças a Deus, por lei, ela pode fazer sexo, e muito sexo, até com o Silvio Santos! O problema é sexo, moralistas do Estadão? Vocês exploram o moralismo e o preconceito etário para prejudicar uma pessoa, um rapaz de 18 anos. Isso sim é muito antiético!

É totalmente saudável e esperado que homens se sintam atraídos por mulheres de 14 anos. A mulher entra na puberdade por volta dos 9 anos de idade, início da sua adolescência. A menarca vem, em média, aos 12 anos. Aos 12 anos a mulher está ovulando. Isso quer dizer que o seu corpo passa se preparar todo mês para uma gravidez. E para que uma gravidez possa ser possível, é preciso que a mulher atraia homens, tenham eles 12 anos ou 85 anos, como o grande Silvio Santos.

É óbvio que não é porque a mulher esteja na idade de gerar a prole, que ela vá logo fazer sexo. Isso depende de cada mulher. Umas já querem logo se deleitar no ato sexual, enquanto outras buscam adiar esse dia, como a Larissa Manoela, que disse querer casar virgem.

O Estadão ainda afirma que o rapaz gerou uma discursão ética. Como assim? Por dizer que certas mulheres fazem o seu tipo? Quem não teve ética foi o jornal Estadão por forçar polêmica por meio do preconceito etário e do moralismo para prejudicar um jovem iniciante apresentador de telejornal.

Infelizmente, o preconceito etário não é devidamente observado como o racismo. Programas e jornais abusam do preconceito etário nas suas abordagens sensacionalistas.

Dudu Camargo é um rapaz de 18 anos que ficou conhecido por assumir a apresentação do telejornal Primeiro Impacto, do SBT, em outubro. O moço é a pessoa mais jovem a apresentar um telejornal. E isso deixou muita gente incomodada! Preconceituosos que o acham jovem demais e invejosos que queriam estar no lugar dele.

É lamentável que pessoas de má índole se utilizem de um jornal de grande circulação, como o Estadão, para ficar forçando polêmicas para prejudicar o rapaz.

No Brasil, o etarismo ou preconceito inter-etário é vedado pela Constituição Federal de 1988: art. 3°, IV.

Fonte:http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/emenos/apresentador-do-sbt-esta-de-olho-em-maisa-silva-e-larissa-manoela/

Silvio Santos é vítima de preconceito por parte de Maísa

O site esquerdista HuffPost Brasil publicou uma infeliz matéria preconceituosa contra Silvio Santos (Senor Abravanel) ao afirmar que Maísa (Maisa da Silva Andrade) deu “uma boa resposta a Silvio” quando ela afirmou “Você já teve os seus anos de ser galã” e que a Helen Ganzarolli deveria fazer uma cena de amor com alguém “mais jovem” para combinar melhor [1]. A jovem Maísa manifestou o seu preconceito inter-etáriogerontofobia. A matéria do site de esquerda apoiou tal atitude infeliz como resposta à brincadeira do Silvio de fingir beijar a Helen.

Silvio Santos finge beijar Helen Ganzarolli

Silvio Santos simula beijo em Helen Ganzarolli e é vítima de preconceito por parte de Maísa

É para lamentar que um site de esquerda, que se diz lutar contra todo tipo de preconceito, apoiar uma atitude preconceituosa de uma jovem mulher de 14 anos de idade contra um senhor de 85 anos. Independente do que o Silvio tenha feito, nunca é justificável o preconceito. A velha máxima escravagista de “por o negro no seu lugar“, herdada no “por o pobre no seu lugar” é usada para se referir a atitude preconceituosa de Maísa contra o seu patrão Silvio Santos.

Ponha-se no seu lugar“, é uma expressão não totalmente em desuso, frequentemente invocada para ilustrar o comportamento das classes dominantes ou privilegiadas no Brasil, país tão marcado por seu passado escravagista e pelas enormes diferenças socioeconômicas. Ela é certamente uma marca da prepotência desses grupos, ao mesmo tempo em que aponta para a existência de zonas movediças, instáveis, de fronteiras interclasses, onde os que podem têm de se conservar atentos aos atrevimentos dos inferiores que tentem ultrapassá-las. Estes, por sua vez, conhecendo o impasse, procuram evitar humilhações, negociar posições e forçar caminhos.[2]

Maísa preconceituosa

Maísa preconceituosa com Silvio Santos

O “lugar” do negro, do pobre e do velho é onde eles quiserem. Silvio Santos é um senhor ativo a vida toda que ficou rico com o seu empreendimento e não deve ser desrespeitado por ser velho que gosta de viver a vida. A sociedade exclui velhos, como Maísa fez e o jornal “desconstruído” de esquerda apoiou.

Silvio Santos é um velho de sorte por ser rico e poder assim ter uma vida melhor. Diferente de muitos idosos que são maltratados, jogados em asilos e abandonados. Vítimas de uma sociedade preconceituosa, gerontofóbica, que idolatra o jovem e descarta o velho. No Brasil, o etarismo (preconceito inter-etário e demais preconceitos etários) é vedado pela Constituição Federal de 1988: art. 3°, IV.

[1] Silvio Santos passou do ponto em ‘brincadeira’ com Helen Ganzarolli. E Maísa o colocou em seu lugar http://www.brasilpost.com.br/2016/06/21/silvio-santos-beijo-hellen-ganzarolli-maisa-_n_10576908.html

[2] PONHA-SE NO SEU LUGAR: RESENHA DE MACHADO DE ASSIS – MULTIRACIAL IDENTITY AND THE BRAZILIAN NOVELIST, DE G. REGINALD DANIEL http://www.scielo.br/pdf/mael/v6n11/10.pdf

Humaniza Redes e Racismo

Passando pela página do Humaniza Redes no Facebook, me deparo com o seguinte post:

Humaniza Redes e Racismo

Humaniza Redes e Racismo.

A página diz que a expressão “A coisa tá preta” é racismo contra negros por ter conotação negativa.

Sendo assim, a expressão “Esqueci, me deu um branco!” seria racismo contra brancos?
E “ih, vai amarelar!” racismo contra índios?

Caro, Humaniza Redes, a expressão “José ganhou uma nota preta” é positiva, significa que a pessoa ganhou muito dinheiro. Há expressões positivas e negativas relacionadas a cores.

Em relação a branco, usadas de forma negativa, além de “me deu um branco“, há ainda as expressões: “passar em branco“, “questão em branco“, “branco de medo“, dentre outras.

Uma página, que custa milhões de dinheiro público, não deveria alimentar picuinhas entre etnias de pessoas. Não deveria marginalizar o povo brasileiro, dizendo que o mesmo é culturalmente racista, machista etc. E deveria respeitar a nossa língua portuguesa, não existe a palavra “negrxs”.

A página “Humaniza Redes” é administrada por feministas. Feministas vivem demonizando a sociedade, a maternidade, o homem e a família. Bem que elas poderiam “humanizar” as próprias mentes e deixar de promover o aborto, que não passa de assassinato.

Muitas feministas dizem que é melhor abortar a criança do que deixá-la nascer e viver uma vida difícil. Ou seja, para feministas não há nada de mais em condenar à morte quem é pobre ou indesejado.

Cristãos criticam Marisa Lobo

Cristãos, católicos e evangélicos, criticam a psicóloga Marisa Lobo por ela apoiar a lei do feminicídio, que torna mais crime o assassinato de mulheres. Portanto, uma lei sexista e incostituicional. Porque homens e mulheres são iguais na Constituição.
Marisa Lobo, se diz anti-feminista, mas apoia leis que privilegiam mulheres. Como a lei do feminicídio e a lei Maria da Penha, leis sexistas que discriminam homens por serem homens, o que vai contra a Constituição brasileira que considera homens e mulheres iguais.
Em que Marisa Lobo se baseiou para ser sexista? Na Bíblia? Onde a Bíblia considera a vida de uma mulher superior a vida de um homem?
A lei do feminicídio foi imposta, ao Brasil, pela ONU Mulheres, uma ONG feminista que faz parte da Organização das Nações Unidas.

Cristãos criticam Marisa Lobo

Cristãos criticam Marisa Lobo por apoiar a lei do feminicídio, uma lei feminista e inconstitucional.