Jesus é Lúcifer

Jesus é Lúcifer, como está na Biblia:

“Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e o resplandecente Lúcifer“. Apocalipse 22:16)

“E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e o Lúcifer apareça em vossos corações”. (2 Pedro 1:19)

Lúcifer vêm do latim (lux + ferre), que significa “portador da luz” e também é chamado de “Estrela da Manhã“, “Estrela D’Alva“, “Estrela da Alva“, “luz da manhã“, “Estrela Vésper“, “Estrela Vespertina“, “Estrela Matutina” e “Estrela do Pastor“, ou seja, se refere ao planeta Vênus. Vênus é usado simbolicamente ou metaforicamente como “portador da luz” por nascer antes do Sol no horizonte. É como se Vênus trouxesse o Sol consigo, trouxesse a “luz” que ilumina o dia, além de ser muito brilhosa. Vênus é o terceiro astro mais brilhante no céu depois do Sol e da Lua. Ele reflete 2/3 da luz que recebe do Sol. Vênus recebeu esse nome em referência à deusa grega do amor e da beleza, cuja equivalente romana era Afrodite.

Vênus, Lúcifer, "Estrela da Manhã", "Luz da Manhã"

Vênus, Lúcifer, “Luz da Manhã”, “Estrela da Manhã”, “Estrela D’Alva”, “Estrela da Alva”, “Estrela Matutina”, “Estrela Vésper”, “Estrela Vespertina” e “Estrela do Pastor”

Lúcifer é metaforicamente usado para se referir ao “rei da Babilônia” (Isaías 14:12), ao sumo sacerdote Simão, filho de Onias [Eclesiástico 1:6], à Glória de Deus (Apocalipse 2:28), ou a Jesus Cristo (Apocalipse 22:16) (2 Pedro 1:19).

Conjunção de Vênus, Júpiter e Marte

Conjunção Vênus Júpiter e Marte em Outubro de 2015

Jesus Cristo, no livro de apocalipse (22:16) se auto denomina “a resplandescente estrela da manhã”, o que é diferenciado quando o termo é usado separadamente “estrela da manhã” como “poder sobre nações”. (Apocalipse 2:28 e 26) (Isaías 14:12)

São Jerônimo ao escrever a Vulgata, uma tradução latina da Bíblia hebraica, usou a palavra latina “lucifer” para traduzir a palavra hebraica הֵילֵל em Isaiah 14:12. Esta palavra, transliterada hêlêl ou heylel, aparece apenas uma vez na Bíblia Hebraica e de acordo com a influência da versão do Rei Jaime significa “o brilhante, estrela da manhã, Lúcifer”. O Septuaginta traduz הֵילֵל para grego como ἑωσφόρος (heōsphoros), um nome, literalmente “o que traz o anoitecer”, para a estrela da manhã.

São Jerônimo usou lúcifer para ser o nome do principal anjo caído, e seu nome em hebraico, helel, é derivado do verbo lamentar, pois ele lamenta a sua queda e a perda do seu brilho. Esta visão prevaleceu entre os Padres da Igreja, de forma que Lúcifer não fosse o nome próprio do diabo, mas apenas o seu estado anterior à queda. Como a queda, o ex-anjo passou a ser chamado de Diabo (em latim diabolus, em grego διάβολος, transl. diábolos, caluniador, acusador), ou Satã (em hebraico Shai’tan, Adversário).

Por significar aquele que traz a luz, Lúcifer foi usado como nome próprio entre os primeiros cristãos, sendo o exemplo mais famoso o São Lúcifer, bispo de Sardenha, onde existe a única igreja à São Lúcifer conhecida.

Lúcifer não é o nome do Diabo, apesar de ser uma palavra latina usada para se referir ao diabo antes da queda, antes do anjo perder o seu brilho e deixar de ser um portador da luz. Por isso, é errado associar Lúcifer ao Satanismo.