Mito: Noivas meninas, 554 mil crianças casadas no Brasil

Títulos sensacionalistas, como “Noivas meninas: realidade de 554 mil crianças casadas no Brasil” são noticiados para chamar atenção e não passam de mentiras. As reportagens são sobre o casamento de mulheres adolescentes, geralmente casamentos consensuais.

Ivonete da Silva, de 14 anos, e Thainá Darri, de 17 anos

Ivonete da Silva, 14 anos, é mãe de Rayslani, de 1 ano. Thainá Darri, 17, casada desde os 15, está grávida.

A mídia em busca de audiência fácil fica desonestamente comparando o Brasil onde algumas garotas de 10 a 17 anos casam por livre e expontânea vontade com meninas de 7 anos do Oriente Médio que são obrigadas a se casar para ter uma vida melhor ou mesmo são vendidas. Parece que esses repórteres odeiam tanto o Brasil que só sabem falar mal do país.

Não há relato de meninas com menos de 9 anos casadas do Brasil. Assim, não se pode dizer que haja casamento infantil ou casamento de crianças no país do Pau-brasil. No Brasil, ocorre apenas casamentos de mulheres adolescentes, ou seja, de garotas com mais de 9 anos de idade, garotas que entram na puberdade e voluntariamente buscam por relacionamentos estáveis, e que deveriam ser devidamente reconhecidos pelo Estado.

Casamento infantil não existe no Brasil, não existem crianças casadas, não existem noivas meninas, porque criança é quem não atingiu a puberdade (geralmente, individuos com menos de nove anos de idade). Os casamentos e uniões no Brasil são realizados com pessoas maiores de nove anos. Pessoas que já entraram na puberdade, sendo portando adolescentes ou adultos. mas infelizmente a grande mídia e ONGs não fazem essa observação e divulgam a ideia equivocada de haver casamentos de crianças no Brasil.

Colocam vários defeitos no casamento como a baixa escolaridade das garotas, como se não fosse possível conciliar casamento e escola, e ignoram que o problema da baixa escolaridade está na dificuldade de acesso à educação e ao ensino regular, além da baixa qualidade que desestimula qualquer aluno. A pesar de Constitucional, o Estado não garante o direito à educação de qualidade a todos brasileiros.

Combater o casamento de jovens só vai levar as mulheres cada vez mais para a promiscuidade e a relacionamentos instáveis, aumentando a chance de pegarem DST’s, terem gravidez indesejada, serem mães solteiras etc. Não existe casamento infantil no Brasil. Criança é quem não atingiu a puberdade (em geral, garotas com menos de 9 anos de idade). Infelizmente, chamam equivocadamente o “casamento adolescente ou casamento adulto” de “casamento infantil”. Equivocadamente porque casamento infantil é apenas o casamento de pessoas com menos de 10 anos, idade que a própria ONU define como o início da adolescência, que considera criança quem tem menos de 10 anos. É uma boa referência porque criança é quem não atingiu a puberdade e a puberdade começa por volta dos 9 anos de idade.

É normal que mulheres adolescentes tenham relacionamentos. Se não há casamentos ou relacionamentos estáveis, abre espaços para condutas clandestinas, basta ver que mulheres jovens (12-24 anos) são as maiores vítimas da AIDS atualmente, fruto de relacionamentos cada vez mais eventuais, que aumentam a probabilidade de contágio. Relacionamentos eventuais muitas vezes são fruto do machismo, já que pais adoram “segurar” suas filhas e elas para ter mais liberdade, acabam fazendo coisas às escondidas e buscando a promiscuidade para viver a sua sexualidade, uma vez que têm dificuldade de arranjar um parceiro fixo.

É preciso se livrar do moralismo e encarar a realidade da sexualidade, porque enquanto a ONU e outras organizações estiverem aberta ao moralismo, assim como os governos, ficará difícil cuidar da saúde das jovens mulheres. Basta ver a histeria que ocorre com a vacinação de garotas contra o HPV, métodos contraceptivos, exames ginecológicos etc.

“Aqui, as meninas se jogam no funk, bebem e nem sabe quem é o pai do filho delas. O casamento me poupou disso”. Thainá Darri

Thaina Darri, 17 anos

“Aqui, as meninas se jogam no funk, bebem e nem sabe quem é o pai do filho delas. O casamento me poupou disso” Thaina Darri

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s