As novinhas estão acabando casamento

No vídeo, mulher reclama que as novinhas estão acabando casamentos. Adolescentes, teens, ninfetas, jovens mulheres de 11 a 16 anos estão seduzindo homens casados para acabar com os seus casamentos. Ninfetas estão usando a sensualidade dos seus belos corpos, que Deus lhes deu, para o mal. Para seduzir homens compromentidos, transar, fazer sexo com eles, com a finalidade de pôr no chão os seus relacionamentos amorosos e tomar esses namorados e maridos para si por vaidade. A pergunta que fica: O que essas ninfetas, teens, adolescentes, jovens mulheres ganham em destruir casamentos? Não seria melhor estarem preocupadas em construir os seus próprios casamentos no lugar de destruir os dos outros? Pois é, mas o ser humano é assim mesmo, cheio de vícios. Algumas mulheres preferem concorrer com outras mulheres, arruinar relacionamentos estáveis alheios, do que edificar os seus próprios relacionamentos amorosos.

O ser humano é pura vaidade. Essas novinhas danadas e sapecas usando da sua sexualidade e do erotismo para tirar homens compromissados dos braços de outras mulheres.

Anúncios

Crianças não engravidam

A definição de criança é justamente quem não atingiu a puberdade. Quem ainda não começou a desenvolver os caracteres secundários (adultos) da sexualidade. Em, geral garotas entram na puberdade por volta dos 9 anos de idade, com o broto mamário, tornando-se púberes, e saem da puberdade por volta dos 13 anos, tornando-se pós-púberes. A menarca ocorre em média aos 12 anos de idade. A primeira menstruação é um fenômeno tardio dentro do processo puberal.

A infância termina com o início da puberdade. A puberdade feminina começa por volta dos nove anos de idade com o broto mamário, assim a mulher deixa de ser criança (quem não atingiu a puberdade) e passa a ser adolescente (quem alcançou a puberdade). Por volta dos 12 anos a mulher têm a primeira ovulação e ocorre a menarca (primeira menstruação). Tornar-se uma mulher adulta (quem alcançou a capacidade reprodutiva).

Biologicamente, criança é quem não atingiu a puberdade. Adolescente, quem entrou na puberdade. E adulto, quem alcançou a capacidade reprodutiva. A Biologia não é um mero papel onde qualquer pessoa coloca o que quer. A Biologia define nossas vidas. Uma mulher de 11-13 anos que ovula, ou esteja pestes a ovular, não é nenhuma surpresa que busque por relacionamentos, vá atrás de homens que lhe interessa. Afinal, alguém tem fecundar seus óvulos. Por isso, que essas mulheres chegam ao ponto de fugir com namorados e engravidam.

Uma mulher adolescente que já está na idade até de ter filhos, claro que vai atiçar o desejo dos homens. Logo, a fêmea tem que ser sexualmente atraente para atrair o macho e assim poder ser fecundada para gerar a prole, ou seja, seus filhos. As ninfetas, jovens mulheres, inspiram homens a fazer melodias como Garota de Ipanema, clássica canção de bossa nova e MPB de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, e as novinhas do funk e do sertanejo universitario.

A ONU classifica como criança quem tem menos de 10 anos de idade, mas dá um novo e equivocado sentido à palavra criança ao chamar de “crianças” os menores de idade, ou seja, pessoas que não alcançaram a maioridade civil, que na maioridade dos países é aos 18 anos de idade. O melhor é não confundir esses conceitos e usar o mais correto, porque novinhas, teens, ninfetas, adolescentes, não são crianças.

Atualmente, como garotas planejam seu futuro em terninar “os estudos”, fazer faculdade, ter uma carreira, acabam adiando a gravidez. Por isso, que a maioria das mulheres não engravidam na adolescência. Mesmo tendo vontade de engravidar jovem, na adolescência, que é o ideal, do ponto de vista biológico.
Imagine se não houvesse todo um planejamento de futuro. Alguém acha que a maioria das mulheres não engravidariam na adolescência?
Mulheres da periferia, do interior ou mesmo indígenas engravidam na adolescência, porque elas não têm tanta expectativa de futuro como a garota de classe alta, que já nasce com o futuro todo definido pelos pais, para ser não menos que juíza, engenheira ou médica.

Mulheres, que geralmente, não engravidam na adolescência, arrumam motivos para adiar esse momento especial. Não é por falta de vontade ou desejo. Se fosse depender da vontade delas, ficavam todas barrigudinhas na adolescência. E levando em conta que a popularização do ensino regular é algo recente, bem como as exigências do mercado de trabalho. Não é novidade que a gravidez na adolescência tenha sido a regra geral durante a história humana na Terra.

E quem definiu isso? A nossa biologia. A natureza! Mulheres adolescentes da modernidade são como borboletas que escolhem não voar, por motivos sociais, mesmo tendo asas e o desejo. Muitas querem ser mãe e adiam esse sonho por pressão social, como a jovem do vídeo a seguir:

“GRÁVIDA AOS 13 – MÃE AOS 14”

“Sim, grávida aos 13”

Aulas básicas sobre Biologia:

Ensino Médio Telecurso: https://www.youtube.com/watch?v=ifhBMyw3big

Prof. Paulo Jubilut: https://www.youtube.com/watch?v=oLtKGtyhgbw

Ótimos vídeos do especialista em reprodução humana Dr. Elsimar Coutinho: https://www.youtube.com/user/ElsimarCoutinho/videos

Sodomita

Sodomita é o ativo nas relações homossexuais. Aquele que faz o papel de “homem” na sodomia (homossexualismo), homem que penetra o próprio falo (pênis) no ânus de outro homem. O sodomita pode ser tanto homossexual quanto heterossexual. porque o sodomita pode ter atração primária por mulheres, mas sodomizar outros homens, como se estivesse fazendo sexo com mulheres.
Daí você perguntaria, porque homens héteros sodomizariam outros homens? Por falta de mulher, o homem hétero pode se sujeitar a sodomizar outros homens. Isso acontece bastante com adolescentes, que por dificuldade de arrumar mulheres, eles acabam tendo que “improvisar”, ser ativo com outros homens, fazendo dos mesmos suas “mulherzinhas”. Muitos adolescentes chegam a abusar de crianças na busca de satisfação sexual. Homens que aceitam ser sodomizados, são geralmente efeminados, homens que preferem fazer o papel de mulher, ou seja, que preferem ser passivos, ser penetrados pelo falo.

Historicamente, a palavra sodomia já foi não apenas usada para designar a prática homossexual entre homens, como também a prática anal entre um homem e uma mulher. Bem como também o lesbianismo, o relacionamento homossexual entre mulheres.
O relacionamento gay entre homens quanto a prática anal entre homem e mulher era chamada de sodomia própria. Já o lesbianismo era chamado de sodomia imprópria.